segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Meu Amigo Pedro -Raul Seixas Genial

Muitas vezes Pedro você fala
Sempre a se queixar da solidão
quem te fez com ferro fez com fogo, Pedro
É pena que você não sabe não

Vai pro seu trabalho todo dia
Sem saber se é bom ou se é ruim
quando quer chorar vai ao banheiro
Pedro, as coisas não são bem assim

Toda vez que eu sinto o paraíso
Ou me queimo torto no inferno
Eu penso em você meu pobre amigo
Que só usa sempre o mesmo terno

Pedro onde você vai eu também vou
Pedro onde você vai eu também vou
Mas tudo acaba onde começou
Tente me ensinar das tuas coisas
Que a vida é séria e a guerra é dura
Mas, se não puder cale essa boca, Pedro
E deixa eu viver minha loucura

Lembro Pedro aqueles velhos dias
Quando os dois pensavam sobre o mundo
Hoje eu te chamo de careta
E você me chama vagabundo

Todos os caminhos são iguais
O que leva à glória ou a
perdição

Há tantos caminhos, tantas portas
Mas, somente um tem coração
E eu não tenho nada a te dizer
Mas, não me critique como eu sou
Cada um de nós é um universo, Pedro
Onde você vai eu também vou
Pedro onde você vai eu também vou
Pedro onde você vai eu também vou
Mas tudo acaba onde co..me..çou

A Chave e o Chaveirinho-Fabrício Carpinejar

Não há maior solidão do que a da mulher alta.
É uma dificuldade secreta, que ninguém fala.
Mas o homem prefere uma mulher gorda a uma mulher alta.
Prefere uma mulher nanica a uma mulher alta.
Não diz, mas prefere.
É um machismo. O mais vergonhoso: o machismo silencioso.
O machismo de se sentir menor do que a mulher e rejeitá-la antes de qualquer contato.
Como se a altura fosse determinar se ele é macho ou não.
Homem teme mulher alta. Se a mulher tem mais de 1 metro e 80, ele desaparece.
Só quer mulheres menores do que ele. Para dominar.
Vergonha de andar de mãos dadas com mulher maior do que ele.
Vergonha de abraçar uma mulher maior do que ele.
Vergonha de dançar com uma mulher maior do que ele.
Homem pensa que ele é baixo porque ela é alta. E afasta todas as mulheres altas de sua vida, para fingir que não é baixo.
Não há maior sofrimento do que da mulher alta.
Porque ela não é feia e é tratada como se fosse um monstro.
Não há maior tristeza do que da mulher alta.
Sempre chamada de girafa, sempre convocada para ser jogadora de basquete, sempre solicitada para pegar alguma coisa lá da última prateleira. Confundem a mulher alta com uma escada simpática.
Mulher alta sofre o pior bullying amoroso. Precisa de homem de coragem, não de homem egoísta, homem que somente pensa em si e na aparência.
Não importa que seja um pequeno homem, desde que não seja um homem pequeno.

O Progresso 27.01.2012









Formatura Ivi Galetto Mottin
Graduou-se no curso de Ciências Biológicas, pela Feevale, Ivi Galetto Mottin, que comemorou com muita alegria a distinção na companhia de amigos e familiares mais queridos no último dia 07, com linda festa na Quadra I. Desejamos todo o sucesso!

P1-A formanda recebe o abraço do pai, Ernani Mottin e de Carmen Rodrigues
P2-Felipe Vargas e Ivi Mottin
P3-Ivi entre Eberson José Thimmig Silveira e sua mãe Maria de Fátima Galetto


Olá João Augusto!
Esse menino alegre e cheio de vida da foto é o João Augusto, primogênito dos meus amigos César Motta e Tatiana Henke.
P4-

Nem Tão Simples...
“É tudo tão simples”, novo livro da genial Danuza Leão, que chega vinte anos depois do best-seller Na sala com Danuza, pra muita gente uma bíblia de como se comportar. De lá pra cá, muita coisa mudou. E Danuza também, segundo ela própria. A ideia do novo livro é atualizar suas regras de como viver, o que vestir, como se comportar, como se relacionar. Recomendo o livro para leitura de férias, é leve, engraçado e irônico, sem nunca perder o charme.
P5-Danuza Leão:“Tem coisa melhor do que encontrar uma bolsa linda, numa butique desconhecida, que ninguém vai saber e é da C&A ou da Hermès?”
Memória Afetiva
Minha querida amiga Lúcia Souza , que comemorou mais um aniversário na segunda, dia 23 cercada pelos filhos Bruna, Augusto e Michele em festa no ano de 2006.
Ma

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

O Progresso 21.01.2012



Formatura Pâmela Machado Kranz

Ernani e Izolete Kranz receberam em grande estilo com festa, no sábado, dia 07, no Clube do Comércio para comemorar a formatura no curso de Nutrição, pela Feevale da sua filha Pâmela que estava radiante de alegria ao celebrar a data com os mais queridos familiares e amigos até o nascer do dia de domingo. Desejamos todo o sucesso!
(Fotos: Rosnei Fotos & Vídeo)
P1-Em família: Chevy, Izolete, Pâmela e Ernani Kranz
P2-Bela e radiante: a formanda Pâmela
Primeiro as Garotas
Jornalista com especialização em moda, a montenegrina radicada no Rio de Janeiro, Ana Lúcia Licks, a Kuki, criou o adorável site First Ladies, com o objetivo de aprimorar a convivência entre as pessoas, com dicas ótimas sobre moda, comportamento e bem viver. Passa lá: www.firstladies.com.br
P3- Ana Licks
Memória Afetiva
No verão de 2006, as manas Divva Maciel e Ereni Szulczewski na escolha da I Rainha da Expomonte.
Ma-

O que o homem não aguenta enxergar ou ouvir de sua companhia? O que arrebenta a paciência masculina? O que nos tira do sério?

Fabrício Carpinejar, te amo!
1) Sovaco cabeludo (só fazia sucesso entre as atrizes comunistas da Alemanha Oriental);
2) Pernas lixas de parede (você vai dançar sertanejo universitário com ela e, no momento de coxear, acaba esfolado);
3) Calcinha cor de pele (o mesmo que encontrar a avó nas pernas de sua mulher);
4) Calcinha no box (a tendência é a torneira virar um cabide);
5) Puxar a calcinha do rego (o equivalente a coçar o saco para o homem);
6) A tradicional pergunta terrorista: O que está diferente em mim?;
7) Inventar que a gente está precisando de roupa para nos arrastar ao shopping e aproveitar a liquidação de sapatos femininos;
8) Não acreditar no nosso elogio. Nem no verdadeiro nem no falso.
9) Perguntar se ela está em TPM ofende, não perceber que ela está em TPM ofende;
10) Chorar no meio de uma briga (ela ganha a discussão porque chorou primeiro);
11) Mania de dizer que esqueceu algo quando acabou de sair de casa;
12) “Só um minutinho”, aquela enrolação na hora de se vestir;
13) Unha descascada;
14) Buço (não dá para engolir mulher com sobrancelha na boca).

sábado, 14 de janeiro de 2012

O Progresso 13.01.2012










Especial Novo ChinaTchê

Para comemorar uma década de sucesso e reverenciar nossa cidade com um ambiente inovador e de muito bom gosto, Montagui de Andrade reabriu em novo endereço (Santos Dumont, 1188-ao lado da Farmácia Panvel) o seu China Tchê com charmoso coquetel onde foram servidos os seus consagrados shishis e sashimis e que contou com a presença de amigos e clientes na segunda, dia 09. Durante os meses de janeiro e fevereiro, de terças a domingos o restaurante abre para almoço e a partir de março passa a funcionar também à noite, nas quintas, sextas e sábados. Desejamos todo o sucesso!

P1- Griseldes Eidt Vieira e Isabel Fachin
P2-Felizes da vida: Montagui de Andrade e equipe
P3-As amigas Odette Klein Fernandes e nossa colunista de saúde Andréa Scherer Sfreddo
P4-Janice Noval, que estava vestida no maior clima oriental e Assis Vieira
P5-Alan de Freitas e Magda Azeredo estão muito felizes à espera de Augusta
P6-Frequentadores assíduos do China Tchê, Nanci e Fernando Pereira
P7-Beth Nunes e Lauren Padilha
P8-O lindo sorriso de Mônica Honscha
P9-Felipe Vargas e Ivi Galetto Mottin

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

DALAI LAMA E AS 20 DICAS PARA O BEM VIVER

01 – Leve em consideração que grandes amores e grandes realizações envolvem grandes riscos.
02 – Quando você perder, não deixe de tirar uma lição.
03 – Siga os três Rs: Respeito por si próprio, respeito pelos outros, responsabilidade por todas as suas ações.
04 – Lembre-se que não conseguir o que você quer é algumas vezes um lance de sorte.
05 – Aprenda as regras para que você saiba como infringi-las corretamente.
06 – Não deixe uma pequena disputa ferir uma grande amizade.
07 - Quando você perceber que cometeu um erro, tome providências imediatas para corrigi-lo.
08 – Passe algum tempo sozinho todos os dias.
09 – Abra seus braços para mudanças, mas não abra mão de seus valores.
10 – Lembre-se que o silêncio às vezes é a melhor resposta.
11 – Viva uma vida honrada. Então, quando você ficar mais velho e pensar no passado, você vai ser capaz de apreciá-la uma segunda vez.
12 – Uma atmosfera de amor em sua casa é o fundamento para sua vida.
13 – Em discordâncias com entes queridos, trate apenas da situação atual. Não fale do passado.
14 – Compartilhe o seu conhecimento. É uma maneira de alcançar a imortalidade.
15 – Seja gentil com a terra.
16 – Uma vez por ano, vá a algum lugar onde nunca esteve antes.
17 – Lembre-se que o melhor relacionamento é aquele em que o amor um pelo outro excede sua necessidade pelo outro.
18 – Julgue seu sucesso pelo que você teve que renunciar para consegui-lo.
19 – Aproxime-se do amor e cultive-o despreocupadamente.
20 – Se você quer ver a si mesmo e o outro feliz, pratique a compaixão.

sábado, 7 de janeiro de 2012

Olha só...




Eu costumava dominar o mundo
Mares se agitavam ao meu comando
Agora, pela manhã, durmo sozinho
Varro as ruas que costumava possuir

Eu costumava jogar os dados
Sentia o medo nos olhos dos meus inimigos
Ouvia como o povo cantava:
"Agora o velho rei está morto!
Vida longa ao rei!"

Um minuto eu detinha a chave
Depois as paredes se fechavam em mim
E percebi que meu castelo estava erguido
Sobre pilares de sal e pilares de areia

Eu ouço os sinos de Jerusalém tocando
Os corais da cavalaria romana cantando
Seja meu espelho, minha espada e escudo
Meus missionários em uma terra estrangeira
Por um motivo que eu não sei explicar
Quando você se foi não havia
Não havia uma palavra honesta
Era assim, quando eu dominava o mundo

Foi o terrível e selvagem vento
Que derrubou as portas para que eu entrasse
Janelas destruídas e o som de tambores
O povo não poderia acreditar no que me tornei

Revolucionários esperam
Pela minha cabeça em um prato de prata
Apenas uma marionete em uma solitária corda
Oh, quem realmente ia querer ser rei?

Lindo né,mas não é meu, isso Coldplay, "viva La vida", música que tenho dado atenção só agora

Danuza Leão tem razão. Olha o texto que escreveu…


Há muito, muito tempo, bacana era ser nobre; começava pela rainha, depois vinham as duquesas, condessas, marquesas etc. O tempo passou, cabeças foram cortadas, e os novos ricos foram os herdeiros, digamos assim, do que era a elite da época.
O tempo continuou passando; vieram os grandes industriais, os empresários, os donos de supermercado, os bicheiros, os marqueteiros, a indústria da moda, até mesmo os políticos, houve os yuppies e surgiu uma curiosa casta nova: a das celebridades. Desse grupo fazem parte atores de televisão, personagens da vida artística, jogadores de futebol, pagodeiros, sertanejos etc., e começaram a pipocar dezenas de revistas cujo objetivo é mostrar a intimidade dessas celebridades, contando os detalhes da vida (ou morte) de princesa Diana, Madonna ou Michael Jackson.
Quanto mais íntimos e escabrosos, melhor. Nesse admirável mundo novo, a moda tem uma enorme importância, e nesse quesito o que conta -mais que a elegância e o bom gosto- é saber de que grife é cada peça que está sendo usada; quanto custou cada uma todos sabem, já que são tão cultos. Um pequeno detalhe: quando duas celebridades se encontram, mesmo que nunca tenham se visto, se cumprimentam efusivamente.
Antes, muito antes, era diferente: um nobre, mesmo pobre, era respeitado por suas origens, pelo que teria sido feito por algum de seus antepassados. Mais tarde, os homens de negócios eram admirados por sua inteligência, sua capacidade em construir alguma coisa importante na vida. Agora as pessoas são definidas por símbolos, a saber: onde moram, a marca do sapato, da saia, da jaqueta, da bolsa, do relógio, do carro, se têm ou não Blackberry, para onde costumam viajar, em que hotéis se hospedam, a marca de suas malas, que restaurantes frequentam, aqui e quando viajam. Ninguém tem coragem de arriscar férias em um lugar novo, um restaurante que não é famoso, usar uma bolsa sem uma grife facilmente identificável.
Mas quem responder de maneira certa às tais indagações poderá, talvez, ser aceito na turma das celebridades. Acordei hoje falando muito do passado; acontece, vou continuar. Houve um tempo em que mulheres do maior bom gosto apareciam com uma bonita saia e uma amiga dizia “que linda, onde você comprou?”.
Hoje, isso não existe mais, porque as pessoas -aquelas- não usarão jamais uma única peça de roupa que não seja grifada. Outro dia fui a um jantar em que havia umas 40 pessoas, sendo 20 mulheres. Dessas 20, dez usavam sapatos Louboutin, aquele que tem a sola vermelha. Preço do par, em São Paulo: R$ 10 mil. Estavam todas iguais, claro, mas o pior é ser avaliada e aceita pela cor da sola do sapato; demais, para minha cabeça.
O prazer -e o chique, a prova da capacidade de improvisar- era botar uma roupa bonita comprada em um mercado qualquer de Belém, Marrakech ou Istambul, e ser diferente. Hoje é preciso mostrar que folheou a revista que tem a informação do que está na moda e que tem dinheiro para comprar. E os jogadores de futebol e os pagodeiros, que não aprenderam o que é bonito na infância, porque eram pobres, nem na vida adulta, porque não deu tempo, olham as revistas, entram no Armani e fazem a festa, já que são também celebridades.
Não há mais lugar para a imaginação, a criatividade, para uma sacada de última hora, que faz com que uma determinada mulher seja a mais especial da noite. Eu não frequento este mundo, mas de vez em quando esbarro nele sem querer, e é difícil.
Um mundo de clichês; mas como tudo passa, estou esperando a hora de acordar e pensar que essa época não passou de um pesadelo”.

O Progresso 06.01.2012











Atendendo à Pedidos: Memoráveis Imagens de 2011

P1-Montenegrina radicada em Londres desde 2009, a designer Fernanda Seelig se tornou a mais nova correspondente internacional de moda do site As Patrícias.

P2-O músicos da Banda Insite: agenda sempre cheia para shows

P3-A nossa escritora Carina Luft publicou e ainda foi indicada ao Prêmio Açorianos de Literatura pelo livro Fetiche

P4-Querido por todos, o jovem Daniel Vercelhese foi o patrono da nossa bem sucedida Feira do Livro

P5-Autora do livro “100 Anos de Clube Riograndense”, Lya Maria Petry Seelig, foi homenageada com uma sala que leva seu nome na sede social do Clube

P6-A jovem Ana clara Schüler: bonita promessa para o futuro das artes visuais em nossa cidade

P7-Atualmente residindo em União da Vitória, no Paraná, onde é casada com Alexandre Puzyna, a montenegrina Fernanda de Andrade nos apresentou seu primogênito João Pedro

P8-Marcos Guarani e Daniel Barcelos, deram show na Festa Reviver Anos 80, um como Sidney Magal, outro como Freddie Mercury

P9-Ao anunciar sua aposentadoria, a querida pianista Celiza Metz foi homenageada por admiradores,colegas e alunos com memorável concerto no Teatro Therezinha Petry Cardona. Aqui, com a amiga do peito Gorete Junges

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

DUAS BOLAS, POR FAVOR

Danuza Leão


Não há nada que me deixe mais frustrada do que pedir sorvete de sobremesa,contar os minutos até ele chegar e aí ver o garçom colocar na minha frente uma bolinha minúscula do meu sorvete preferido.
Uma só.
Quanto mais sofisticado o restaurante, menor a porção da sobremesa.
Aí a vontade que dá é de passar numa loja de conveniência, comprar um litro de sorvete bem cremoso e saborear em casa com direito a repetir quantas vezes a gente quiser, sem pensar em calorias, boas maneiras ou moderação.

O sorvete é só um exemplo do que tem sido nosso cotidiano.
A vida anda cheia de meias porções, de prazeres meia-boca, de aventuras pela metade.
A gente sai pra jantar, mas come pouco.
Vai à festa de casamento, mas resiste aos bombons.
conquista a chamada liberdade sexual, mas tem que fingir que é difícil (a imensa maioria das mulheres continua com pavor de ser rotulada de 'fácil').

Adora tomar um banho demorado, mas se contém pra não desperdiçar os recursos do planeta./

Tem vontade de ficar em casa vendo um dvd, esparramada no sofá, mas se obriga a ir malhar./

E por aí vai.

Tantos deveres, tanta preocupação em 'acertar', tanto empenho em passar na vida sem pegar recuperação...
Aí a vida vai ficando sem tempero, politicamente correta e existencialmente sem-graça, enquanto a gente vai ficando melancolicamente sem tesão...

Às vezes dá vontade de fazer tudo “errado”.
Deixar de lado a régua, o compasso, a bússola, a balança e os 10 mandamentos.
Ser ridícula, inadequada, incoerente e não estar nem aí pro que dizem e o que pensam a nosso respeito.
Recusar prazeres incompletos e meias porções.

Nós, que não aspiramos à santidade e estamos aqui de passagem, podemos (devemos?) desejar várias bolas de sorvete, bombons de muitos sabores, vários beijos bem dados, a água batendo sem pressa no corpo, o coração saciado.

Um dia a gente cria juízo.
Um dia...
Não tem que ser agora.

Por isso, garçom, por favor, me traga: cinco bolas de sorvete de chocolate...
Depois a gente vê como é que faz pra consertar o estrago.

domingo, 1 de janeiro de 2012

O Progresso 30.12.11








Esperança
Mário Quintana
Lá bem no alto do décimo segundo andar do ano, vive uma louca chamada Esperança
Ela pensa que quando todas as sirenes
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Ó delicioso vôo!
Ela será encontrada
Miraculosamente incólume na calçada
Outra vez criança
Em torno dela indagará o povo: -Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá (é preciso dizer-lhe tudo de novo!)
E lhes dirá bem devagarzinho: -O meu nome é Esperança!

Dedico este poema, que ganhei manuscrito pela minha madrinha Luíza Birnfeld, à todos os nossos leitores, agradecendo a confiança e o prestígio no ano que se encerra. Um feliz e iluminado 2012 para todos nós!


Bons Momentos de 2011

P1-Alegria: As Embaixatrizes do HM comemoram os 80 anos de muita vida do nosso Hospital Montenegro junto ao casal Kurt e Alice Heller.

P2-No início do ano, ela recebeu a distinção, nesta semana, resultado positivo no Exame da OAB: Caroline Saticq, na foto de formatura com sua mãe Verani
P3-Líder de uma associação de professores transexuais do país, nossa querida Marina Reidel brilhou em 2011 na luta contra o preconceito
P4-As mamães Ester Mendel da Silva com o Theo, Karin Andrighetti com Ana e Patrícia Mottin Pares com Ana Carolina enfeitaram nossa coluna neste ano!

P5-Com bonita festa Agenor Rigon comemorou seus 70 anos de vida e até ganhou o Oscar!

P6-Marcelo Bulgarelli fez sucesso Brasil afora com o premiado espetáculo “Dia Desmanchado”

P7-O lindo casal Renata Orth e Gustavo Kern à espera de Enzo, que hoje já é um super bebê!

A Carta

Seguindo a proposta da minha querida comadre Juliana Moscofian a carta para a minha criança seria mais ou menos o seguinte:



"Você nunca se livrará desses óculos, mas seu problema de pele irá sumir após um tratamento sacrificado e fedorento, com a Dra. Norma Bier Vieira. E também por mais que tente, jamais conseguirá jogar vôlei. Caia fora desta turma que só ri da sua cara o quanto antes!
Na adolescência vai ser traída pela sua melhor amiga, mas vai encontrar amigos da vida toda e isso lhe ensinará a não esperar lealdade de ninguém, aliás nada de ninguém, o que será positivo no final!
Vai ruir por anos por um amor não correspondido, mas vai aprender o que é rock n' roll!
Vai se divertir com liberdade e muita experimentação e continuar convivendo com o lado mesquinho e sórdido de alguns.
Vai pintar seus cabelos de vermelho e seu nariz vai diminuir como se fosse um milagre.
Vai rir de si mesma só depois de conhecer Gilberto Icle.
Suas mãos continuarão sem anéis e sem esmalte.
Não vai se casar com o Fábio Jr. E nem com o Fábio Assunção.
Vai demorar até que você aprenda a dirigir um automóvel.
Vai continuar lendo biografias de atrizes fantásticas, mas não vai terminar a faculdade de teatro.
Sua ciência é a moda, e quando for estudar fora, conhecerá pessoas que são como você e não vai mais se sentir tão solitária, mesmo que essa solidão a acompanhe para sempre.
Belchior, Madonna e Sandra de Sá serão seus preferidos.
Seus alunos, sim senhora serás professora como a titia Lúcia, a tia Beth, a tia Luíza e sua mãe, eles serão o seu maior orgulho.
O salto alto terá uma passagem rápida pelos seus dias, mas cigana/prenda que vive dentro de você nunca lhe abandorá e você terá todas as saias que “arrodiam” que quiser vestir.
Não será apegada a modismos, terá móveis exatamente como os das casas de suas avós, lenços, livros e muitas relíquias que serão herdadas por sua afiliada, que será sua maior alegria, já que filhos não farão a mínima falta.
Assim como jóias e grifes. Ao contrário dos óculos, que serão vários e uma gaveta cheia deles será um adorável tesouro!
Conhecerá pessoas que vão lhe ensinar a ver as coisas do mundo por um lado criativo, como Geny, Juliana, Loíde e Zica.
Aos 25, na beira do Rio aonde ainda moras, a amor lhe sorrirá de verdade, na hora você vai saber que depois deste dia, tudo vai mudar”.